Estratégia e Títulos Barbell

estratégia de barraInvestir com uma estratégia de barra oferece uma maneira de ganhar exposição a um determinado vencimento de títulos, sem ter que investir todo o seu portfólio no mesmo segmento do mercado.

Por exemplo, um investidor que deseja exposição ao segmento de vencimento de dez anos pode investir todo seu dinheiro em títulos de dez anos (uma abordagem chamada de “estratégia de bala”).

No entanto, para diversificar o risco, o investidor poderia investir metade de sua carteira em títulos com vencimentos de cinco anos e a outra metade em títulos com vencimentos de 15 anos para atingir um prazo médio de dez anos. A estratégia da barra tem esse nome porque o portfólio é fortemente ponderado nos dois lados, assim como uma barra.

Um barbell de títulos não precisa necessariamente ter o mesmo peso de ambos os lados – pode ser mais pesado de um lado, com base nas perspectivas de um investidor e nos requisitos de rendimento.

A estrutura de barra

A estratégia de barra geralmente divide um portfólio em duas seções, um lado de baixo risco e outro de alto risco. O lado conservador da carteira é preenchido com títulos de curto prazo, enquanto o lado de maior risco da carteira é cheio de títulos de longo prazo e com maior risco.

Os títulos de longo prazo correm mais riscos porque são mais suscetíveis ao aumento da inflação. Os títulos de curto prazo, com vencimento em cinco anos ou menos, têm menor probabilidade de serem afetados pela inflação e, portanto, são considerados menos arriscados em uma estratégia de barra.

Para criar um portfólio de títulos com barra, o investidor pode dividir seus investimentos em uma divisão 90/10, onde 90% de seus investimentos são de curto prazo e 10% são de longo prazo. O lado de curto prazo da barra seria então referido como sendo mais pesado porque possui mais investimentos.

Rotatividade de títulos no Barbell

Uma barra de títulos é uma estratégia ativa que requer monitoramento e ação frequente, uma vez que os títulos de curto prazo precisarão ser lançados em novos problemas com frequência.

Além disso, a maioria dos investidores aborda o lado mais longo da barra comprando novos títulos para substituir as emissões existentes à medida que seus vencimentos diminuem.

Naturalmente, o rendimento atual dos novos títulos, bem como o tamanho do ganho ou perda que o investidor possui nos títulos existentes, desempenharão um papel nessas decisões.

Benefícios do Barbell

Os benefícios potenciais de investir usando uma estratégia de barra são:

    • Maior diversificação do que uma estratégia estratégica – comprar vários títulos que vencem ao mesmo tempo
    • O potencial para obter rendimentos mais altos do que seria possível através de uma abordagem com marcadores
    • Menor risco de queda nas taxas obrigando o investidor a reinvestir seus fundos a taxas mais baixas quando seus títulos vencem
    • Se as taxas subirem, o investidor terá a oportunidade de reinvestir o produto dos títulos de curto prazo a uma taxa mais alta
    • Os títulos de curto prazo vencem com frequência, fornecendo ao investidor liquidez e flexibilidade para lidar com emergências

Quais são os riscos?

O principal risco dessa abordagem está no final da barra a longo prazo. Os títulos de longo prazo tendem a ser muito mais voláteis do que seus pares de curto prazo, portanto, existe o potencial de perdas de capital se as taxas subirem (os preços dos títulos caem quando as taxas aumentam) e o investidor decide vender os títulos antes do vencimento. Se o investidor puder manter os títulos até o vencimento, as flutuações intermediárias não terão impacto negativo.

O pior cenário para a barra é uma ” curva de rendimento cada vez maior “. Essa frase pode parecer muito técnica, mas significa simplesmente que os rendimentos dos títulos de longo prazo estão subindo (e os preços estão caindo) muito mais rapidamente do que os rendimentos dos títulos de curto prazo.

Nessa situação, os títulos que compõem o fim longo da barra diminuem de valor, mas o investidor ainda pode ser forçado a reinvestir o produto do final de curto prazo em títulos de baixo rendimento.

O oposto da curva de rentabilidade mais acentuada é a curva de rentabilidade achatada, em que os rendimentos dos títulos de curto prazo aumentam mais rapidamente do que os rendimentos de seus pares de longo prazo. Essa situação é muito mais favorável para a estratégia de barra.

Um impedimento

Essa abordagem exclui propositadamente os vínculos do meio da estrada; aqueles com um termo intermediário. Historicamente, os títulos de médio prazo oferecem retornos mais altos do que os títulos do Tesouro de 30 dias com risco adicional mínimo e retornos apenas ligeiramente mais baixos do que os títulos de longo prazo.

Muitos investidores conservadores preferem incluir alguns títulos de médio prazo em sua carteira, especialmente durante certos ciclos econômicos em que os títulos de médio prazo tendem a superar outros vencimentos de títulos.

A desvantagem de uma estratégia de barra é que o investidor perde a oportunidade de usar títulos de médio prazo em seu portfólio, apostando que o retorno ao longo do tempo será maior sem esses títulos de médio porte.

 

Classifique este post
[Total: 1 Average: 5]

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!